terça-feira, 2 de maio de 2017

Somos ou não responsáveis pelos atos mentais

A bomba atômica é apenas um produto do espírito de guerra permanente, que existe entre os homens; é um efeito e não uma causa. Esse espírito belicoso não se revela apenas no sábio, no militar ou no político desavisado, pois estes, muitas vezes, estão dominados pelo férreo dever de "salvar a sua pátria". É o conjunto humano do vosso orbe que contribui para manter latente a vida dessas energias mortíferas, criando-as como uma necessidade, devido à insegurança interior de cada país. Não importa que seja agora a bomba atômica a causar destruições, quando já o foram a dinamite, o canhão, o barco, o avião fratricida e será futuramente outra qualquer energia perigosa; o que importa, sim, é extinguir a dose de vitalidade com que cada um alimenta esse "duende" tenebroso, que é o espírito latente de guerra? Há tanto ódio entre os países, raças, povos, religiões, políticos, correligionários, profissões e classes, como entre vizinhos, esposos, filhos, pais e indivíduos isolados! A guerra está no próprio homem, pois aquele que não sabe o que quer não pode estar em paz nem consigo mesmo; é um guerreiro em potencial! Se a natureza divina, superior e angélica, do homem, ainda não venceu a demoníaca, inferior e animalizada, como existir no mundo a paz que ainda não existe no indivíduo? Não havendo paz nem mesmo às vossas mesas de refeições e entre a própria família, como quereis vos considerar distantes das responsabilidades pela bomba atômica? Se pudéssemos roubar-vos a bomba atômica, vós a substituiríeis por outra arma, talvez ainda mais tenebrosa!... Quereis a Paz? Não a conseguireis com palavrório nem com brados estentóricos, nem tão pouco por conclamações à hora certa! Segui o Cristo; ele é que vos dará a verdadeira Paz, quando aceitardes o seu reino interior, onde os "tesouros não são roídos pelas traças nem corroídos pela ferrugem", e onde o homem "se salva perdendo a vida"!

RAMATIS - Do livro mensagem do Astral

Nenhum comentário: